sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Por uma Arte de Contar História

Ah! Como é importante na formação de qualquer criança ouvir muitas histórias...Escutar histórias é o início da aprendizagem para ser um leitor e ser leitor é ter todo um caminho de descobertas e de compreensão do mundo, absolutamente infinito...
O primeiro contato da criança com um texto, é feito, em geral, oralmente.É pela voz da mãe e do pai, contando contos de fada, trechos da Bíblia, histórias inventadas tendo a gente como personagem, narrativas de quando eles eram crianças e tanta coisa mais...Contadas durante o dia, numa tarde de chuva ou à noite, antes de dormir, preparando para o sono gostoso e reparador e para um sonho rico embalado por uma voz amada...É poder rir, sorrir, gargalhar com as situações vividas pelos personagens, com a idéia do conto ou com o jeito de escrever de um ator e, então, poder ser um pouco cúmplice desse momento de humor, de gozação.
Ler histórias para as crianças, sempre, sempre...É suscitar o imaginário, é ter a curiosidade respondida em relação a tantas perguntas, e encontrar outras idéias para solucionar questões como os personagens fizeram... é estimular para desenhar, para musicar, para teatralizar,para brincar... Afinal, tudo pode nascer de um texto.
O significado de escutar história é tão amplo...É uma possibilidade de descobrir o mundo imenso dos conflitos das dificuldades, dos impasses das soluções, que todos atravessamos e vivemos de, um jeito ou de outro, através dos problemas que vão sendo defrontados, enfrentados(ou não) resolvidos (ou não) pelos personagens de cada história(cada um o seu modo...).
Para contar uma história, é preciso saber como se faz... Afinal, nela se descobrem palavras novas, se depara com a música e com a sonoridade das frases dos nomes...se capta o rítmo, a cadência do conto, fluindo como uma canção...E para isso, quem conta tem que criar o clima de envolvimento,de encanto...Saber dar as pausas, o tempo para o imaginário de cada criança construir seu cenário, visualizar os seus monstros, criar os seus dragões, adentrar pela sua floresta, vestir a princesa com a roupa que está inventando pensar na cara do rei... e tantas coisas mais...
(Fanny Abramovich:Educadora, crítica de Literatura Infantil e Escritora).